Marketing de conteúdo é o pilar do inbound marketing e consiste, essencialmente, em produzir conteúdos relevantes ou de impacto extremamente positivo na sua audiência alvo, sejam conteúdos educacionais, profissionais, tutoriais ou simplesmente conteúdos de entretenimento. Seja um Gary Vaynerchuck a produzir conteúdos para atrair novos clientes para a sua agência de marketing digital, seja uma Kéfera Buchmann a produzir vídeos de entretenimento que geram visualizações e, com isso, patrocinadores e dinheiro em anúncios, marketing de conteúdo começa e termina no momento em que você produz qualquer tipo de conteúdo.

A diferença está no fato de que marketing de conteúdo tem o objetivo de oferecer um conteúdo relevante ao leitor, podendo gerar resultados financeiros ou não. O inbound marketing, por sua vez, não foca exclusivamente no conteúdo, mas em outros pontos como: geração de leads comerciais, e nutrição deles para no futuro, fechar uma venda. Portanto, o inbound marketing é a cabeça e o marketing de conteúdo é um de seus braços. O inbound também inclui em suas táticas elementos de SEO, mídias sociais, marketing de influência e outras formas de comunicação de marca.


Como pode ver pela lista, há muito o que fazer quando o tema é marketing de conteúdo. Mas você precisará definir uma estratégia para cada um desses conteúdos, uma vez que não bastará produzir um texto para o seu blog, publicar um vídeo no Youtube ou fazer um post no Facebook. É preciso você entender como cada um desses formatos de conteúdo funciona, onde divulgar, como divulgar e, acima de tudo, como amplificar a sua mensagem para ela chegue ao maior número de pessoas possível.

Decida como você vai promover os produtos afiliados. Como mencionado, a maneira mais fácil é através de um site ou blog . Outros profissionais de marketing de afiliação bem-sucedidos configuram uma página do Google Squeeze projetada para criar uma lista de e-mails e, em seguida, promovem produtos afiliados aos assinantes. Naturalmente, sua lista deve fornecer outras informações não relacionadas a vendas, pois as pessoas não querem ser vendidas o tempo todo. Alguns afiliados não usam um site, e usam mídias sociais como Facebook, Instagram ou Twitter. Muitos comerciantes da filial usam uma combinação de várias táticas de marketing.
Se você criar um perfil no Instagram e outro no Facebook, os conteúdos que você publicar em cada uma dessas redes têm obrigatoriamente de ser diferentes. São público-alvo diferentes, que consomem conteúdos de formas diferentes. Por isso que é importante muitas vezes não estar presente em todas as redes, mas somente naquelas que realmente fazem sentido para os seus objetivos profissionais, sejam eles quais forem.
Depois disso, é importante que os seus conteúdos estejam devidamente otimizados para o Google para que o robot de rastreamento entenda o seu conteúdo, quais as partes mais importantes e, principalmente, qual a palavra-chave que define a sua peça de conteúdo. Isto não significa que você deverá escrever a mesma palavra-chave inúmeras vezes no seu post! Isso chama-se manipulação e pode resultar numa penalização por parte do Google, ok?
Parabéns Alex,sempre com conteúdo que nos faz abrir os olhos pra novas possibilidades. Trabalhar como afiliado é fantástico pq primeiro você começa a vender produtos de outras pessoas, só que ao longo do tempo você vai percebendo que também tem um certo conhecimento e que pode transmitir esse conhecimento de várias formas e gerar ainda mais vendas. Ser afiliado é uma excelente opção para começar.
×